g1 festival no rs tenta arrecadar fundos para jovem que teve maos decepadas/

Após ter parte dos pés e as duas mãos decepadas pelo ex-companheiro, Gisele Santos, 22 anos, viu uma rede de proteção e solidariedade se formar. Neste domingo (27), um festival vai reunir apresentações musicais, teatrais, circenses e de dança em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Toda a renda será revertida para auxiliar o tratamento de Gisele.

Mais de 12 bandas estão confirmadas no evento, que conta também com nomes relevantes da música no Rio Grande do Sul, como Tonho Crocco, da banda Ultramen, e Mano Changes, da Comunidade Nin-Jitsu.

Sérgio Mossmann, organizador do evento, disse que a iniciativa partiu da família de Gisele, que o procurou. Ele faz ações sociais há 18 anos. “Se formou uma corrente de solidariedade muito legal em torno da Gisele. Vai ser algo bem positivo”, diz. A banda de Sérgio também irá se apresentar no domingo (27).

Além de organizador, Sérgio também realiza a tele-entrega dos ingressos, que custam R$ 10, em toda a Região Metropolitana. A compra pode ser feita por meio do telefone dele: (51) 9967-6851. O festival “CanoasAbraça Gisele” ocorrerá no Canoas Tênis Clube, na Avenida Inconfidência, 740, no Centro da cidade. A primeira apresentação está marcada para às 15h.

Outra iniciativa para arrecada dinheiro é o jogo da Lotofácil, facilmente encontrado nas lotericas.

O crime
​Gisele e o ex-companheiro tiveram uma discussão pela manhã no dia 2 de agosto, o que viria a causar a tragédia horas depois. Decidida a se separar, ela anunciou para o companheiro: “Ou você sai de casa, ou saio eu”. “Aí, ele começou a chorar e pedir perdão”, relata.

Sem aceitar a decisão da companheira, Élton Jones, 25 anos, trancou a porta e colocou a chave dentro do bolso. Gisele lembra que, quando tentou ligar para a mãe pela primeira vez para pedir socorro, teve o celular arrancado das mãos pelo marido. Ela tentou afastá-lo com um chute. Foi quando o homem pegou um facão em cima do armário para agredi-la.

O homem se apresentou a uma delegacia na mesma data do crime. Ele está no Presídio Central de Porto Alegre. “O meu perdão ele tem. Depois, ele que se acerte com Deus. Só quero que fique longe de mim e da minha família”, completa Gisele (assista ao vídeo abaixo).

O Ministério Público denunciou Élton por tentativa de homicídio quadruplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel, recurso que impossibilitou a defesa da vítima e emprego de violência doméstica e familiar).

Secretaria da Saúde garante próteses
Após audiência realizada no dia 25 de agosto, o secretário estadual da Saúde João Gabbardo dos Reis garantiu que Gisele Santos receberá proteses do governo. Gabbardo informou ainda que a paciente também foi encaminhada a um serviço de reabilitação, onde foi agendado atendimento por uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e fisiatra.

Gisele também conta com o apoio da Prefeitura de Sapucaia do Sul, município vizinho a São Leopoldo, no Vale do Sinos, que lhe oferece transporte para deslocamento. De acordo com a presidente do Conselho, o governo cumpre a lei prestando atendimento indicado, por se tratar de uma violência contra a mulher e ser entendido como uma questão de saúde pública.

A família vem contando, ainda, com o apoio de amigos. Uma campanha foi lançada para ajudar Gisele. Segundo pesquisas dos familiares, cada prótese para as mãos custaria cerca de R$ 24 mil, um valor muito alto. Uma página no Facebook reúne informações sobre o caso e lista os caminhos para ajudar Gisele (clique aqui).

Serviço
O que: Festival Canoas Abraça Gisele
Onde: Canoas Tênis Clube (Avenida Inconfidência, 740, Centro)
Quando: Domingo, 27 de setembro, às 15h
Quanto: R$10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *